O controlo da corrosão através de ultrassons é uma técnica não intrusiva (não invasiva) utilizada para traçar um mapa da espessura de um material. A técnica pode-se utilizar para identificar variações na espessura do material causadas por corrosão ou outros fenómenos de degradação, tais como fissuras por corrosão sob tensão ou fissuras induzidas por hidrogénio, e para as visualizar de forma gráfica. Os dados podem-se guardar em formato de imagem digital para sua posterior análise. Também se podem utilizar como referência para futuras inspeções através de códigos de cores que representam as diferenças de espessura.
 
A técnica é utilizada em numerosos setores. Na indústria do petróleo e gás, por exemplo, é utilizada para inspecionar e caracterizar a corrosão de tubagens, tanques de armazenamento e recipientes em serviço.
 
Os mapas de corrosão podem ser traçados através de sondas de matriz em fase de ultrassons ou sondas ultrassónicas a zero graus. Habitualmente, nesta técnica faz-se uso de uma única sonda de onda de compressão a zero graus que digitaliza a zona de interesse com um varrimento de trama. Pode-se montar uma combinação de diferentes sondas num scanner para ampliar a probabilidade de deteção, digitalizando a totalidade da zona a analisar.